MedioTec

O Governo Federal vem investindo em algumas implantações de programas para aperfeiçoar a educação no Brasil. O ensino superior já consta com alguns recursos, como o Prouni, que abre espaço para que a sociedade brasileira tenha maior acesso ao ensino superior.

O ensino técnico também não é incluso. O Pronatec já vem sendo experimentado pelos brasileiros há algum tempo. Porém, há uma nova ação do poder público em potencializar esse setor da educação, o MedioTec. Já em vigor a partir deste ano de 2018, o MedioTec vem para acelerar as mudanças propostas na Medida Provisória 746/2016.

O que é o MedioTec?

O MedioTec é uma plataforma que promove ao brasileiro a oportunidade de formalização profissional e técnica ao mesmo tempo. Isso quer dizer que ensino médio e ensino técnico andam integrados nessa nova ação e assim, o aluno tem uma maior abertura para o mercado de trabalho após a educação básica.

Ao aderir ao prograsma, o aluno consegue uma certificação de nível técnico ao terminar o ensino médio. É importante deixar claro que a proposta do MedioTec vem no pacote de mudanças que o Presidente Michel Temer e o Ministério da Educação implantaram na reforma da educação neste ano.

Como funciona?

O MedioTec funciona como qualquer sistema equivalente ao ENEM ou Prouni. Em todo o Brasil, o programa oferece 82 mil vagas em instituições de educação públicas e privadas e também federais. O grande enfoque do programa é justamente dar oportunidade a quem mora em regiões onde o ensino escolar não é de qualidade, aperfeiçoando tanto o ensino básico como também dando prioridade dos alunos a adquirirem um espaço mais rápido no mercado de trabalho com o ensino técnico aprendido.

Para que o aluno concorra a uma dessas vagas, é necessário que o aluno acesse o portal do Ministério da Educação, na área do MedioTec. Da mesma forma que o ENEM e o Prouni, o sistema oferecerá ao aluno uma visão completa das vagas que as instituições oferecem e os cursos oferecidos.

Por ser um programa ainda novo, não são todas as instituições que são conveniadas ao programa e que oferecem um número de vagas grande. Além disso, o programa só entrará realmente em vigor em 14 de agosto desse ano, embora algumas instituições em São Paulo, Ceará e Minas Gerais já estejam experimentando o novo sistema.

E os cursos?

Ainda não estão definidos os cursos certos que essas instituições federais, públicas e privadas irão oferecer à população. Entretanto, algumas particularidades são importantes para que o cidadão saiba como os cursos serão ofertados:

  • As capacitações serão oferecidas de acordo com a necessidade de cada região. Se uma área demanda de uma qualificação contínua para a indústria, como Manaus, por exemplo, então as instituições da cidade poderão se concentrar em cursos da área da indústria;
  • Os cursos serão variados em algumas regiões do país. Porém, a oferta de vagas continuará vigente;
  • Os cursos farão parte de um nível médio concomitante. Isso quer dizer que o aluno precisará terminar os estudos do ensino fundamental para assim ter acesso ao MedioTec e usufruir de um ensino médio técnico.

Mesmo a variedade de conhecimentos ainda seja incerta quanto ao estabelecimento definitivo dessas áreas ofertadas, algumas áreas já foram escolhidas para compor a grande de cursos de acordo com o Ministério da Educação. Cursos voltados à Administração, Contabilidade, Mecânica, Finanças e Psicologia são algumas vertentes que serão mais exploradas pelos jovens alunos.

Todos os cursos terão uma carga horária de 800 horárias. O Ministério da Educação, até o momento, não terá autonomia para estabelecer um método específico para ministrar esses cursos. Contudo, as instituições terão uma possibilidade livre de propor aos alunos o ensino teórico e também prático, com visitas a empresas, atividades extracurriculares e ambientações simples, mas efetivas para que o aluno tenha uma visão mais concreta do mercado.

De acordo com o mapeamento que o MEC faz em cada região do país e suas necessidades, o MedioTec poderá promover aos alunos capacitações que atendam às necessidades emergentes que a região detém. Tanto a inserção, a prática e as aptidões serão trabalhadas pelas instituições e todos os alunos brasileiros já terão acesso livre à verificação e inscrição das vagas a partir de agosto desse ano.

Deixe um comentário